quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Emergência Espiritual


Muito se fala da jornada espiritual e dos seus benefícios. Observa-se mesmo uma certa ingenuidade e minimização do caminho espiritual, muitas vezes sendo visto como fuga da realidade. Nada, no entanto, pode estar mais equivocado. 
A jornada espiritual de autodesenvolvimento exige comprometimento e acima de tudo coragem. Coragem para lidar com os aspectos internos que não são bemvindos – nossa sombra.
Conforme mergulhamos na consciência profunda, elementos adormecidos e padrões de comportamento são trazidos à superfície. O reconhecimento é o início do processo de transformação e isso nem sempre é fácil, ou agradável.
Dependendo da intensidade, pode-se mesmo entrar em um processo de crise pessoal, que tem recebido o nome de crise de emergência espiritual nos meios acadêmicos. Este termo foi cunhado pelo casal Christina Grof e Stanislav Grof e ainda está sendo discutido em meios científicos, chegando a aparecer alguma coisa a respeito na edição revisada do DSM-IV TR (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais - Texto Revisado), sob o código V62.89 - Religious or Spiritual Problem (APA, 2000).
É importante diferenciar a crise da evolução gradual: a emergência da crise. Quando começamos uma jornada de crescimento, este processo pode se dar de inúmeras formas, o mais comum sendo a forma gradativa. Aos poucos, novas questões vão sendo trabalhadas pelo indivíduo e sua consciência vai expandindo de uma forma que é razoavelmente fácil de lidar. Já a crise, é aquela expansão de consciência rápida, que traz um desafio para a mente e muitas vezes é difícil de lidar sozinho.
A crise de emergência espiritual é um processo intenso e pode muitas vezes ser confundido com Depressão ou até mesmo estados psicóticos, dependendo de sua intensidade. Ao ser erroneamente diagnosticada, o indivíduo inicia um tratamento inadequado, muitas vezes através de medicamentos pesados, que acaba levando a um quadro de dependência desses medicamentos e a um empobrecimento da personalidade.

"O conceito de emergência espiritual integra descobertas de muitas disciplinas, incluindo-se entre elas a psiquiatria clínica e experimental, a moderna pesquisa da consciência, as psicoterapias experienciais, os estudos antropológicos, a parapsicologia, a tanatologia, a religião comparada e a mitologia. As observações em todos esses campos sugere de modo consistente que as emergências espirituais têm um potencial positivo, não devendo ser confundidas com enfermidades de causa biológica que precisam de tratamento médico."
(Grof & Grof, 1995)

Os critérios que separam a crise de emergência espiritual de outros transtornos psiquiátricos ainda estão sendo definidos e é preciso cuidado. Toda situação complexa do ser humano merece atenção especial, livre de preconceitos.
Problemas religiosos envolvem conflitos sobre crenças, valores e práticas relacionadas a uma instituição. Problemas espirituais se relacionam mais com os conflitos do indivíduo com uma força transcendente, um poder maior que não está necessariamente relacionado com uma religião.
Para entender mais sobre as diferenças entre religiosidade e espiritualidade, veja texto do blog "Espiritualidade e Saúde" de Outubro de 2010.

Para ler mais sobre o tema, consulte:

Grof, Stanislav; Grof, Christina. (1995) Emergência Espiritual: Crise e Transformação Espiritual. São Paulo: Ed. Pensamento.
Lukoff, David. (1998) From Spiritual Emergency to Spiritual Problem_DSM-IV. Journal of Humanistic Psychology, 38(2), 21-50.
Bradford, Kenneth G. (2010) Fundamental Flaws of the DSM: Re-Envisioning Diagnosis. Journal of Humanistic Psychology, no prelo.