quinta-feira, 9 de junho de 2011

Sobre a Meditação

A meditação é uma técnica milenar, que tem suas raízes nas filosofias orientais, como o Budismo, o Taoísmo e o Hinduísmo; mas também pode ser encontrada nas formas místicas do Cristianismo e do Judaísmo.
O uso da meditação está cada vez mais popular e mais secularizado, isto é, separado da prática religiosa. Dentro do meio acadêmico e em diversas áreas da saúde, muitas pesquisas mostram os diversos benefícios da meditação, sem importar tanto qual técnica se utiliza.

A meditação pode ser compreendida como uma técnica de treinamento mental com o objetivo de diminuir ou cessar o fluxo caótico de pensamentos e aumentar a capacidade de concentração, ajudando o praticante a encontrar um estado de bem estar e autoregulação, com significante aumento da espiritualidade e dos aspectos positivos tanto psicológicos como os de saúde.

A principal técnica utilizada nos meios acadêmicos e de saúde  tem sido a Mindfulness, que pode ser traduzida como Atenção Plena.
Utilizando um objeto neutro para focar a mente - como a respiração, por exemplo - somos convidados a manter o foco da atenção pelo maior tempo possível, sem distração. No início, parece uma tarefa impossível, mas com o tempo e a prática, percebe-se que realmente começamos a ter um controle maior sobre nossos pensamentos.

Esta capacidade de auto-observação traz inúmeros benefícios; mas é importante observar que manter a mente focada por tempo indeterminado não é o objetivo final da meditação. Segundo a filosofia budista, este é apenas o requisito inicial para que possamos realmente nos aventurar na natureza da mente e compreendê-la... E compreender nossa mente é, em última instância, conhecer a nós mesmos.
Por isso, a meditação se torna rica quando utilizada na busca de contato com a dimensão espiritual e transcendente do indivíduo, com o objetivo final de nos ajudar a alcançar o estado máximo do potencial humano, conhecido na literatura oriental como “iluminação” e na ocidental como “autorealização”.

Alguns benefícios:
  • Melhora a capacidade de concentração, autocontrole e auto-observação; 
  • Diminui sentimentos ansiosos, agressivos e depressivos; 
  • Promove sentimentos positivos: compreensão, ética, paciência, sentido para vida, desapego, etc.
  • Promove alterações positivas na personalidade; 
  • Diminui a percepção de dores em geral; 
  • Ajuda a controlar taxas hormonais; 
  • Promove melhora no sistema imunológico;

Mas fique atento, pois a meditação não é...
  • Simplesmente esvaziar a mente; 
  • Uma prática para obtenção de poderes sobrenaturais; 
  • Apenas um hábito; 
  • Apenas um relaxamento; 
  • Algo para se envaidecer;

No processo meditativo – que é o processo de conhecermos a natureza da mente - devemos seguir um caminho, como em qualquer outra atividade que desejemos nos tornar hábeis. É preciso dedicação...



Referências:

FORTNEY, L.; TAYLOR, M. (2010). Meditation in Medical Practice: a Review of the Evidence and Practice. Primary Care Clin Office Pract, No 37: 81-89

HANKEY, A. (2006). Studies of Advanced Stages of Meditation in the Tibetan Buddhist and Vedic Traditions. I: A Comparison of General Changes. e-Cam 2006; 3(4) 513-521

KRISTELLER J. L.; HALLETT, C. B. (1999). An Exploratory Study of a Meditation-based intervention for Binge Eating Disorder. Journal of Health Psychology, No 4: 357

MARS, T. S.; ABBEY, H. (2010). Mindfulness Meditation Practice as a Healthcare Intervention: a Sistematic Review. International Journal of Osteopathic Medicine, No 13:56-66

OSIS, K.; BOKERT, E.; CARLSON, M. L.(1973). Dimensions of the Meditative Experience. Journal of Transpersonal Psychology, No 5(2): 109-135

REAVLEY, N.; Pallant, J. F. (2009). Development of a Scale to Asses Meditation Experience. Personality and Individual Differences, 47: 547-552

RUBIA, K. (2009). The Neurobiology of Meditation an its Clinical effectiveness in Psychiatric Disorders. Biological Psychology, 82: 1-11

Um comentário:

  1. Olá,

    somos da assessoria de comunicação de um grupo de artesãos que desenvolvem objetos para ajudar no alívio do stress, na prática da meditação ou simplesmente no passatempo, como japamalas, masbahas e kombolóis. Gostaríamos de convidá-l@ para uma visita em nosso blog e em nossa página no Facebook:

    http://maosocupadas.blogspot.com

    Um abraço,
    Ahow! Comunicação

    ResponderExcluir