quinta-feira, 2 de junho de 2011

Psicologia Transpessoal e Imaginação Ativa

A Psicologia Transpessoal é uma nova força da Psicologia, tendo seu início consolidado no final da década de 1960 por Abraham Maslow, James Fadiman, Antony Sutich, entre outros. Ela se apóia no aspecto saudável do Ser Humano e busca resgatar valores e crenças que auxiliem o indivíduo a encontrar seu equilíbrio natural.
Maslow


Depois da corrente Humanista de Psicologia, a Abordagem Transpessoal tem um conceito de Ser Humano amplo, como um ser que possui dimensões físicas, sociais, emocionais, racionais e espirituais. Trabalha com um novo conceito de consciência, amparada nas novas descobertas das neurociências, reconhecendo que transitamos por diversos estados de consciência ao longo do dia e da vida.

Mudando o foco, novas percepções aparecem.
Estados de consciência podem ser compreendidos como um conjunto de funções fisiológicas, emocionais e mentais que alteram nossa percepção da realidade, dando um "colorido" diferente ao que vivemos. Por exemplo, quando estamos bêbados ou quando estamos muito felizes, nossa percepção do que acontece muda radicalmente - estas mudanças de interpretação são fontes de diversos conflitos emocionais.



Reconhecendo a importância da dimensão espiritual, a Psicologia Transpessoal também trabalha a busca de sentido e significado, fortalecendo a motivação de viver e de estabelecer novos valores.

Uma técnica utilizada pela Abordagem Transpessoal para trabalhar os conteúdos psíquicos-emocionais é a Imaginação Ativa. Esta é uma técnica criada pelo psicólogo Carl Jung, que tem como finalidade trabalhar conteúdos psíquicos pouco conscientes ou totalmente inconscientes. Através de diversas técnicas lúdicas, como desenhar, dançar, imaginar e mesmo escrever, é possível trabalharmos questões emocionais profundas e chegarmos a um bom entendimento de processos internos. Todas as terapias que utilizam técnicas artísticas podem ser reconhecidas como tendo suas raízes no trabalho de Jung.

No livro de Chodorow (1997), é feita uma coletânea dos escritos de Jung, com trechos onde ele cita e exemplifica o uso e as técnicas de Imaginação Ativa. É interessante notar que antes de chegar ao termo definitivo, Jung utilizou diversos nomes como: função transcendente, fantasia ativa, técnica de diferenciação, exercício de introspecção, entre outros. Podemos perceber ao longo da leitura deste livro, que o método de Jung é "baseado na função curativa natural da imaginação".

Para a Abordagem Transpessoal, a técnica de Jung é uma excelente ferramenta, por auxiliar no processo de mundaça de ponto de vista e no tornar consciente aspectos psicológicos e emocionais que estavam indisponíveis no nível racional. Ao se utilizar a Imaginação Ativa, é possível acessar o inconsciente, resgatando uma visão ampla da questão e possibilitando uma visão equilibrada, fazendo nascer um novo conceito e uma nova leitura dos problemas e da própria vida.


Referências:

Chodorow, Joan. (1997). Jung on Active Imagination. Princeton University Press, New Jersey.

Maslow, A. (1968/1999). Toward a Psichology of Being. Ed. John Wiley & Sons.

Maslow, A. (1969). The Farther Reaches of Human Nature. The Journal of Transpersonal Psychology, spring 1969. 


Saldanha, Vera. (2008). Psicologia Transpessoal: Abordagem Integrativa – um conhecimento emergente em psicologia da consciência. Ijuí, RS: Ed. Unijuí.

Sutich, A. (1969a). Some Considerations Regarding Transpersonal Psychology. The Journal of Transpersonal Psychology, spring 1969.

Sutich, A. (1969b). The American Transpersonal Association. The Journal of Transpersonal Psychology, fall 1969.

Tabone, Márcia. (2005). A Psicologia Transpessoal. São Paulo: Ed. Cultrix.

Nenhum comentário:

Postar um comentário