segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Sobre a Medicina Tradicional Chinesa

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) tem uma história milenar, resultado do acúmulo de experiências práticas e observações, e seu principal objetivo é a manutenção da saúde e o tratamento de doenças.
Dentro da MTC, encontramos uma grande variedades de técnicas como Acupuntura, Auriculoterapia, Moxabustão, Ventosaterapia, Massagem, Fitoterapia, Alimentação e Exercícios Físicos. Cada técnica tem uma aplicação mais indicada, mas todas são importantes para a manutenção e a recuperação da saúde.
Para os antigos chineses, saber observar o ambiente onde vivemos era de extrema importância para se manter a boa saúde. Assim, esta visão nos inspira a observar nossos hábitos e torná-los mais equilibrados para assim termos uma melhor qualidade de vida.
Pensando nisso, quero criar aqui uma sessão de dicas segundo a visão da MTC, para que vocês possam tirar proveito da forma de cuidar do corpo segundo esta arte milenar.

Regras de ouro da MTC:

1. Durma bem... idealmente das 22hs às 6hs...
2. Alimente-se sem excessos, de forma saudável...
3. Beba água, sem gelo e sem exageros...
4. Exercite-se, mas também sem exageros...
5. Mantenha a mente tranquila, pratique meditação...
6. Encontre um equilíbrio entre trabalho e lazer...

Bom, como se pode ver, nada que agente já não tenha ouvido por aí, não é ?
Mas pôr tudo isso em prática é que é o desafio. Por isso, sempre cheque as dicas que irão ser postadas aqui no blog... Ser saudável é mais simples do que parece !

Abs !

Katya

DICA 1 - Sobre os gelados... 

Evite beber gelados, principalmente junto ou logo após a refeição. Nosso estômago sobe de temperatura pra realizar uma boa digestão e quando ingerimos um líquido gelado, atrapalhamos o processo, fazendo com que a digestão demore mais que o devido, bagunçando toda a química dos alimentos. Com isso, vitaminas são perdidas, o alimento fermenta e diversos nutrientes podem ficar com a absorção comprometida.
E aquele sorvete de sobremesa ? Só depois de pelo menos 30 minutos... na verdade, tente escolher outra sobremesa, que não seja gelada. Deixe o sorvete pra quando você estiver com o estômago vazio e o dia estiver bem quente...


DICA 2 - Dores de Cabeça

Para a MTC, a localização da dor de cabeça é muito importante para que o diagnóstico seja correto e portanto, a escolha do ponto a ser utlizado também.
A dor de cabeça que afeta a região frontal, da testa, está associada ao processo digestivo, ao estômago e ao Zang Baço. O ponto ideal para aliviar esta dor é o ponto do Meridiano do Intestino Grosso IG4 Hegu. Na maioria das vezes, apenas massageando fortemente este ponto, temos grande alívio da dor, podendo até mesmo remover a dor por completo.



O IG4 Hegu está localizado no dorso da mão, entre o dedão e o dedo indicador. O ponto está próximo do osso, na parte média do segundo metacarpo.

ATENÇÃO: este ponto é proibido para grávidas.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Uma Reflexão sobre a Realidade

 
O mundo de hoje encontra‐se em grande desequilíbrio – nossa vida e estrutura social encontram-se ameaçadas em todas as áreas e de diversas formas: desde questões climáticas, passando por tragédias sociais até crises econômicas  e  governamentais.
Como chegamos a este estado de coisas ? 
Bom,  esta  é  uma  pergunta  que  exige  um  longo,  profundo  e  multidiscipljnar  olhar.  Diria  mesmo  que  precisamos  de  uma  abordagem  transdisciplinar:  um  olhar  que  não  apenas  reúna  diversas  especialidades,  mas  que  as  una  e  transcenda, trazendo novas formas de pensar, de agir e de ver o mundo.
Ver o mundo… 
Nossa  forma  de  pensar  a  realidade  é  algo  com a qual  em  raros  momentos  nos  importamos,  mas  numa  análise  mais  cuidadosa,  se  mostra  como  a  fonte  de  diversas "confusões" em nossas vidas e em nossa sociedade. 


O  que  é  a  Realidade  ?  Um  pensamento  crescente  de  que  aquilo  que  acreditamos se torna real  está  se  difundindo  pela  sociedade, há já algum tempo.  Mas  como  saber  no  que  acreditamos  ? Infelizmente,  as  coisas  não  são  tão  simples  como  gostariam  os  produtores  do  filme  “O  Segredo”.  Reconhecer  nossas  crenças  é  um  trabalho  árduo,  que  dura,  em  geral,  toda  uma  vida  –  é  uma  jornada.  E  nesta  jornada,  cada  passo  é dado com cuidado, e/mas principalmente com a consciência de que muitas vezes nos enroscamos,  e  para  continuarmos  a  andar,  precisamos  abrir  mão  de  velhos  hábitos,  velhas  formas  de  pensar  e  de  olhar  para  o  mundo.
A Realidade é uma percepção.
Quando falamos de Realidade temos que dar uma olhada não só naquilo em que acreditamos, mas também naquilo que nossa cultutra nos diz sobre esta Realidade. E uma boa fonte para isso, é buscar na literatura e no meio científico. Fazendo isso, descobrimos que também a Ciência evolui como nós: sempre  acreditando  que  existe  algo  mais  para  ser  apreendido, compreendido, verificado. A  boa  Ciência sempre está consciente de que suas teorias são visões que explicam parte da realidade,  e não a Realidade como um todo; e que toda teoria só é válida até o momento em que algo fugir a sua predição ‐ a partir  daí,  é necessário que se desenvolva outra teoria, que inclua e explique o fenômeno  observado.
Existem hoje fortes evidências de que  uma  nova  teoria  para  abordar  a Realidade  se  faz necessária  e  está  surgindo, pois existe toda uma classe de eventos que nossos modelos científicos  atuais não explicam. Ai encontramos os diversos casos como: telepatia, clarividência,  clariaudiência, consciência extra‐corpórea, experiência  de quasemorte, curas espontâneas, experiências místicas, os gênios, etc…
São inúmeros os casos contundentes que ficam sem a devida explicação.  (Ver Kelly et al, na lista de livros do blog)

“Olhe ao seu redor por um instante e veja, ouça, cheire e sinta onde você está. […] Sua consciência pode partilhar de tudo isto num único instante, mas você jamais conseguirá descrever tal experiência. Não são apenas as experiências místicas [que são indescritíveis]; qualquer experiência é indescritível.”   
 Capra, F. (1988) Sabedoria Incomum. p. 111
Também temos que citar toda a classe de eventos sócio‐culturais e ambientais  pelos  quais  passamos atualmente e que estão gerando uma  forte movimentação em todas as áreas de  atividade humanas. A  interferência do homem no equilíbrio do planeta já não pode mais ser negada e as consequências desta atividade podem ser sentidas por todas as classes sociais em todas as partes do mundo. Talvez, o que falte seja uma nova perspectiva, um novo olhar para as informações que já possuimos, mas que insistimos em encaixar em antigos moldes.
Vamos rever o conhecimento advindo da Física Quântica e suas implicações nas outras ciências, vamos buscar o conhecimento adquirido e desenvolvido pelos pensadores inspirados dos anos 60  e 70, que foram o berço de inúmeras teorias que hoje começam  a ser  postas em prática aqui e ali. Não podemos nos esquecer das fontes da Filosofia,  pois sem ela ficamos à mercê de qualquer  um que  nos  pareça culto.  Informação é um valor incalculável e  insubstituível.  Não é à toa que governos manipulam  a  informação; já sabemos disto.
Precisamos nos permitir voar, mantendo os pés no chão e dar espaço a uma lógica que ainda estamos em busca. Atentos aos passos já  dados, vamos explorar  um  novo  raciocínio,  que  no  final  das  contas,  talvez  não  seja  tão  novo assim.
Refletir sobre a Realidade é refletir sobre nossa vida, sobre quais são nossas crenças e como elas estão conectadas com nossa cultura.
Este texto pretende inspirar uma reflexão sobre como um conhecimento médio das evoluções científicas,  junto com uma razoável análise filosófica das suas implicações, torna acessível ao público leigo uma boa base de informações para mudar conceitos, idéias e formas de agir que são destrutivos tanto no âmbito pessoal como no âmbito social.


 
Aquilo que acreditamos se torna real. 
Este é um conceito muito citado, mas em geral não é levado muito à sério, sendo relegado ao que muitas vezes é pejorativamente chamado de “adeptos da auto-ajuda". Apesar de ser verdade que muita coisa ruim é escrita nesta categoria, acredito que a maior parte da rejeição a este pensamento se dê  por  falta de  um conhecimento  mais profundo  sobre  as  novas teorias formuladas por diversos pensadores e cientistas proeminentes desde a década de  70,  baseados nas descobertas provenientes  da  Física feitas no início do século passado,  e  que abalaram  os  alicerces  do mundo  científico,  pois pediram  uma  mudança  na  forma  como vemos  a Realidade.
Parece  que  até  hoje  estas informações  não  foram  bem  transmitidas  ao  público em geral, gerando  um  número enorme  de  especulações  sem  o  devido  embasamento. Apesar de hoje encontrarmos vários  grupos  de  estudiosos e diversas pessoas  engajadas num  movimento de transformação cultural, ainda sofremos as consequências de uma maioria de pessoas que pensam e veêm o mundo baseados em conceitos ultrapassados.
A  revisão  de  valores  socio‐culturais  e  concepções  de  mundo  é  de  crucial importância  para  uma  melhora  na  qualidade  de  vida  de  todo  o  planeta.  É  preciso trazer  para  o  nosso  cotidiano  uma  prática  de  questionamento  que  nos  mantenha atentos  às  forças  internas  que  nos  movem  e  que  regem  nossas  escolhas. É necessário transformar  a  consciência  do  que  nos  é  importante  na  vida  em  um  pensamento  que permeie todas as nossas atitudes. É  claro  que  esta  forma  de  ver  e  viver  no  mundo  passa  por  uma  jornada intelectual  e  espiritual,  que  para  muitos  pode  parecer  exagerada,  mas  acredito  que existam  inúmeras  formas  de  tornar  isso  uma  agradável  experiência  para  todos  que se  dispuserem  a  tentar. A premissa básica é rever nossos conceitos  sem julgá‐los em certo ou errado, bom ou mau – simplesmente, tomar consciência de nossas crenças e ver  o quanto elas nos são  úteis. Se elas trazem alegria e bem‐estar, tudo  certo; se trazem desconforto e desarmonia, vamos buscar uma nova crença que traga esta harmonia e bem‐estar de volta.
Isto  pode  soar  muito  esotérico  para  alguns,  mas  na  verdade  é  um  exercício mental  bastante  instigante  e  tudo  o  que  é  preciso  é  um  espírito  inquisidor.  É  claro que  esta  auto‐consciência  passa  por  todos  os  aspectos  do  ser  humano  –  sua  vida social  e  intelectual,  suas  atividades  físicas  e  espirituais  –  mas  não  queremos  aqui  dar preferência  a  um  deles,  pois  isto  seria  mais  uma  vez  eleger  um  dos  aspectos humanos  como  o  único  que  importa,  e  aí  cairíamos  no  mesmo  erro  de  antes.  Pois  o que  temos  hoje  é  um  desequilíbrio  destes  aspectos  humanos,  onde  a  Razão  foi  eleita a  senhora  absoluta  e  toda  a  subjetividade,  que  dá  riqueza  as  experiências  humanas, foi negada e  excluída dos processos de desenvolvimento tecnológico  e  social  da humanidade, transformando os seres humanos em objetos manipuláveis. 
A  idéia de  integração é o objetivo  final, sabendo‐se  desde já que uma alternância  dinâmica  entre  os  aspectos humanos é vista como indício  de  saúde,  pois tudo  o  que  é  rígido  um  dia  se  parte,  como  o  crença  ferrenha  de  que  somos  máquinas dotadas  de  partes  que  funcionam  isoladamente.  Este  movimento  dinâmico  entre  os aspectos  humanos  é  o  que  possibilita  uma  evolução  sadia  e  é  a  base  da  própria característica  social  da  humanidade:  por  termos  habilidades  particulares,  cada indivíduo  se  torna  importante  para  o  todo,  havendo  espaço  para  cada  um  expressar o que tem de melhor. 
Uma  sociedade  que  fomente  o  melhor  em  cada  um,  que  dê  espaço  para  a revisão  de  valores  e  apóie  as  crises  necessárias  a  todo  crescimento  –  esta  é  a  utopia em  questão.  Mas  como  cantou  John  Lennon,  acredito  que  outros  já  partilharam  deste sonho. 

You may say I’m a dreamer 
But I’m not the only one. 
I hope some day you’ll join us  
And the world will be as One.

 

Sobre a Palestra de Outubro

Foi muito bom começar o ciclo de palestras do Núcleo SaberSer com a Palestra da querida Flávia Venturoli sobre o Hinduísmo e as Filosofias da Índia.
O que pudemos perceber é que precisamos de muitas outras !
Foi muito bom descobrir o elo que une todos aqueles nomes que conhecemos tanto, como Brahman, Vishnu, Krishna, Shakti, Ganesha, Upanishads, Vedanta e outros.
Muito esclarecedor e inspirador !
Quero agradecer aos participantes pela presença e por permitir que a palestra fosse tão gostosa !


Obrigada,

Katya







sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Espiritualidade e Saúde



Desde
 tempos
 remotos,
 o
 cuidado
 com
 a
 saúde
 esteve
 ligado
 com
 a
 dimensão
 espiritual
 e
 religiosa
 do
 ser
 humano:
 curandeiros,
 xamãs,
 pajés,
 sacerdotes,
 sacerdotisas,
 padres
 e
 freiras
 eram
 também
 os
 responsáveis
 pela
 saúde
 física
 dos
 integrantes
 de 
suas 
comunidades. 
Cuidar
 da 
saúde 
era 
cuidar 
da 
espiritualidade.

Durante
 séculos
 as
 intituições
 religiosas
 cuidaram
 e
 controlaram
 a
 saúde
 e
 os
 cuidados
 médicos,
 e
 até
 mesmo
 as
 licensas
 para
 executar
 a
 medicina
 eram
 dadas
 pela
 igreja,
 na
 Idade
 Média.
 Os
 primeiros
 hospitais
 foram
 criados
 por
 intituições
 religiosas
 e
 até
 meados
 do
 século
 XVIII
 ainda
 era
 assim
 –
 mesmo
 hoje
 encontramos
 diversos
 hospitais
 ligados
 a
 entidades
 religiosas
 (Hospital
 João
 Evangelista,
 por
 exemplo).

Por
 muitos
 anos
 acreditou‐se
 que
 as
 doenças
 físicas
 e
 mentais
 eram
 causadas
 por
 possessões
 demoníacas
 ou
 outras
 forças
 espirituais,
 e
 por
 isso
 tinham
 que
 ser
 tratadas
 no
 âmbito
 religioso/espiritual.
 O
 ápice
 desta
 crença
 se
 deu
 em
 1487
 com
 o
 Maleus
 Maleficarum,
 que
 condenou
 as
 bruxas
 à
 fogueira
 –
 muitas
 das
 quais
 eram
 doentes
 mentais
 que
 necessitavam
 de
 cuidados
 apropriados.
 Este
 movimento
 ficou
 conhecido
 como
 “Inquisição”
 e
 durou
 cerca
 de
 200
 anos,
 e
 todos
 sabemos
 das

atrocidades
 cometidas
 pela falta
 de
 conhecimento
 mais 
esclarecido.

Nos
 últimos
 500
 anos
 observamos
 um
 declínio
 do
 poder
 da
 igreja
 e
 um
 avanço
 da
 medicina
 científica,
 permitindo
 que
 esta
 se
 libertasse
 do
 controle
 religioso.
 A
 separação
 entre
 religião
 e
 medicina
 só
 aumentou
 desde
 então;
 no
 entanto,
 nos
 últimos 
anos, temos
 observado 
um
 renovado 
interesse
 pelas 
técnicas 
tradicionais de
 medicina
 e
 mesmo
 um
 crescente
 interesse
 sobre
 o
 quanto
 a
 religião
 e
 a
 espiritualidade 
influenciam 
na
 saúde.
 
Um
 número
 grande de
 pesquisas
 científicas
 robustas
 e
 bem
 desenvolvidas
 apontam
 a
 importância
 da

dimensão
 espiritual
 e
 religiosa
 do
 ser
 humano,
 e
 como
 ela 
afeta 
a 
saúde
 de 
forma
 relevante.
 A
 primeira
 razão
 para
 tal
 ressurgimento
 se
 deve
 ao
 fato
 da
 religião
 e
 da
 espiritualidade
 serem consideradas 
um
 importante 
aspecto
 da
 vida 
pela
 maioria
 das
 pessoas
 ‐
 no
 Brasil
 87%
 das
 pessoas
 acreditam
 em
 Deus
 e
 consideram
 a
 religiosidade/espiritualidade
 um dos aspectos
 fundamentais
 da
 vida.
 Apesar
 de ter
 sido
 visto
 como
 doentio
 por
 indivíduos
 consagrados
 como
 Freud
, e
 esta
 visão
 ter
 contaminado
 boa
 parte
 do
 mundo
 acadêmico,
 o
 que
 se
 observa
 atualmente
 é
 uma
 renovação
 do
 olhar
 para
 esta 
dimensão 
tão 
importante
 do 
ser
 humano.

Uma
 nova
 abordagem
 está
 sendo
 delineada
 por
 estudiosos,
 procurando
 definir
 conceitualmente
 o
 que

seria
 a
 dimensão
 espiritual
 do
 ser
 humano,
 e
 o
 que
 encontramos 
são
 as 
seguintes
 definições:


Religiosidade


Religião
 envolve
 crenças
 específicas
 sobre
 a
 vida,
 a
 vida
 após
 a

morte
 e
 regras
 que
 orientam
 o
 comportamento
 dentro
 de
 um
 grupo
 social.
 É
 organizada
 e
 praticada
 dentro
 de
 uma
 comunidade,
 mas
 também
 pode
 ser
 praticada
 em
 privacidade,
 sozinho,
 fora
 de
 uma
 instituição.
 O
 ponto
 central
 da
 definição
 é
 que
 a
 religião
 tem
 suas
 raízes
 em
 tradições
 estabelecidas
 que
 surgem
 de
 um
 grupo
 de
 pessoas
 com
 crenças
 e 
práticas 
em
 comum 
em 
relação 
ao 
transcendente.






Espiritualidade



Tornou‐se
 uma
 expressão
 popular,
 preferida
 à
 religião.

Atualmente,
 espiritualidade
 é
 considerada
 pessoal,
 algo
 que
 cada
 um
 define
 pessoalmente.
 Geralmente
 é
 livre
 de
 regras, 
dogmas 
e 
das 
responsabilidades 
associadas 
`a 
religião 
‐ 
uma
 pessoa 
pode
 ser espiritualizada,
 mas
 não
 religiosa.
 Na
 verdade,
 uma
 ‘espiritualidade
 secular’
 é
 geralmente
 enfatizada
 hoje
 em
 dia
, nos
 círculos
 onde
 a
 religião
 não
 é
 bem
 vinda.
 Assim,
 espiritualidade 
é
 vista
 como 
pertencente 
a
 todos,
 religiosos 
e
 secularistas.



Muitas
 dessas
 crenças
 em
 religião
 e
 espiritualidade
 tem
 um
 forte
 impacto
 na
 saúde,
 pois 
dizem
 respeito 
a 
práticas 
e 
comportamentos
 alimentares, 
sociais 
e 
pessoais.
 Uma
 das
 razões
 para
 a
 retomada
 de
 interesse
 no
 aspecto
 espiritual
 é
 o
 crescente
 descontentamento
 do
 público
 com
 os
 serviços
 médicos,
 que
 se
 tornaram
 extremamante
 impessoais,
 focados
 apenas
 no
 dinheiro,
 e
 com
 inúmeras
 explicações
  duvidosas
 sobre 
as
 causas 
das
 doenças 
–
 quando 
estas
 existem.

Boa
 parte
 deste
 descontentamento
 também
 pode
 ser
 endereçado
 a
 uma
 revisão
 geral
 na
 visão
 de
 mundo
 de
 muitas
 pessoas
 –
 como
 se
 diz
 no
 meio
 acadêmico:
 estamos
 numa
 grande
 virada
 de
 paradigma
 (conceitos).
 Assim,
 perguntas
 milenares
 como
 ‘qual
 o
 sentido
 da
 vida?’,
 ‘quem
 sou’,
 ‘o
 que
 é
 a
 realidade?’
 estão
 mais
 uma
 vez
 motivando 
as 
pessoas 
a 
reverem 
crenças 
sobre 
valores 
profundos 
de 
vida.
 
Num 
próximo
 texto, 
comentarei
 sobre 
este 
novo
 paradigma.

Para
 maiores
 informações
 sobre
 o
 tema
 espiritualidade
 e
 saúde,
 acesse
 a
 biblioteca
 virtual 
HOJE, 
no 
link 
do 
blog.


Abraços,

Katya


Referência:


Koenig,
 McCullough
 &
 Larson.
 (2001). Handbook
 of
 Religion
 and
 Health.
 Oxford
 Press.


domingo, 12 de setembro de 2010

Kirtan de Inauguração

Bom... muito bom ! Cantar mantras, meditar... A inauguração oficial foi uma delícia ! Muito obrigada pela participação do grupo Kirtanarama. E agradeço também a todos que foram e aos que cantaram de longe... Obrigada !

domingo, 29 de agosto de 2010

Sejam bem-vindos

É com grande prazer que anunciamos a criação do blog do Núcleo SaberSer - Terapias e Estudos da Consciência ! Espero que este seja um espaço para compartilharmos idéias, eventos e tudo que possa contribuir com o crescimento pessoal de cada um.
Aqui você vai encontrar descrição das técnicas que cada profissional do núcleo utiliza, além do anúncio dos eventos que acontecerão.
Sugestões são bem-vindas !

sábado, 28 de agosto de 2010

Biblioteca Básica

Em ordem alfabética por título.
  1. A CURA PELAS MÃOS - Richard Gordon.
  2. A  JANELA VISIONÁRIA - Amit Goswami. 
  3. A JORNADA SAGRADA DO GUERREIRO PACÍFICO - Dan Millman. (2) 
  4. A NEW SCIENCE OF LIFE - Rupert Sheldrake.
  5. A NOVA HISTÓRIA DO TEMPO - Stephen Hawking. 
  6. ANATOMIA DO ESPÍRITO - Caroline Myss.
  7. ANTICÂNCER - David Servan-Schreiber
  8. BIOENERGÉTICA - Alexander Lowen.
  9. ALÉM DO CÉREBRO - Stanislav Grof.
  10. CAMINHOS ALÉM DO EGO - Roger Walsh e Francis Vaugham.
  11. CHAKRAS - MANDALAS DE VITALIDADE E PODER - Shalila Sharamon, Bodo J. Baginski.
  12. CONTRATOS SAGRADOS - Caroline Myss.
  13. CORPOMENTE - Ken Dychtwald. 
  14. CURAR: O STRESS, A ANSIEDADE E A DEPRESSÃO - Dr. David Servan-Schreiber. 
  15. EMBRACING MIND - THE COMMON GROUND OF SCIENCE & SPIRITUALITY - Alan Wallace.
  16. INTELIGÊNCIA SOCIAL - Daniel Goleman.
  17. IRREDUCIBLE MIND - TOWARD A PSYCHOLOGY FOR THE 21st CENTURY - Edward Kelly.
  18. JUNG - O MAPA DA ALMA - Murray Stein.
  19. LUZ EMERGENTE - Barbara Brennan.
  20. MANDALAS - Rudiger Dahlke.
  21. MÃOS DE LUZ - Barbara Brennan.
  22. MENTES INQUIETAS - Ana Beatriz B. Silva.
  23. NORMOSE - A PATOLOGIA DA NORMALIDADE - Roberto Crema, Pierre Weil, Jean-Yves Lelloup.
  24. O CAMINHO DO GUERREIRO PACÍFICO - Dan Millman. (1)
  25. O CORPO EM DEPRESSÃO - Alexander Lowen.
  26. O CORPO TRAÍDO - Alexander Lowen.
  27. O ESPECTRO DA CONSCIÊNCIA - Ken Wilber.
  28. O LIVRO TIBETANO DO VIVER E DO MORRER - Sogyal Rinpoche.
  29. O PARADIGMA HOLOGRÁFICO E OUTROS PARADOXOS - Ken Wilber.
  30. O TAO DA FÍSICA - Fritjof Capra.
  31. O UNIVERSO ELEGANTE: SUPERCORDAS, DIMENSÕES E A BUSCA DA TEORIA DEFINITIVA - Brian Greene. 
  32. PRAZER - Alexander Lowen.
  33. PSICOLOGIA TRANSPESSOAL - Vera Saldanha.
  34. PSICOLOGIA TRANSPESSOAL - Márcia Tabone.
  35. SABEDORIA INCOMUM - Fritjof Capra.
  36. TEORIAS DA PERSONALIDADE - James Fadiman.
  37. TERAPEUTAS DO DESERTO - Jean-Yves Lelloup e Leonardo Boff.
  38. THE HOLOGRAFIC UNIVERSE - Michael Talbot.
  39. THE SELF-AWARE UNIVERSE - Amit Goswami. 
  40. TOWARD A PSYCHOLOGY OF BEING - Abraham Maslow.
  41. UMA ARTE DE CURAR - Jean-Yves Lelloup.
  42. WHEELS OF LIGHT - CHAKRAS, AURAS AND THE HEALING ENERGY OF THE BODY - Rosalyn Bruyere.
  43. WHOLENESS AND THE IMPLICATE ORDER - David Bohm.
  44. WILLIAM JAMES WRITINGS 1902-1910 - William James.Anti